25/03/2014

No plenário da Câmara, o relator do projeto do Marco Civil da Internet, Alessandro Molon, elencou as principais mudanças feitas no texto, após acordo fechado com os partidos para a sua aprovação.

Uma delas chama atenção: os provedores de conteúdo e de aplicações só vão retirar textos, com ordem judicial. Anatel e Comitê Gestor vão ser ouvidos para a neutralidade de rede e os data centers ficaram fora. Mas provedores de aplicação terão de respeitar as leis brasileiras, mesmo com os dados de usuários armazenados fora do Brasil.

A CDTV, do Convergência Digital, reproduz a fala do deputado Alessandro Molon, do PT/Rio de Janeiro.

Fonte: Luiz Queiroz e Ana Paula Lobo - Convergência Digital