26/05/2015

A Anatel vai arrecadar R$ 183,6 milhões com a venda de quatro posições orbitais brasileiras - que cobrem toda a América do Sul - nesta terça, 26/5. O resultado representa um ágio de 70% sobre a soma dos preços mínimos, R$ 27 milhões cada.

Quatro empresas participaram - Telesat, do Canadá; Star Satellite, dos Emirados Árabes Unidos; Eutelsat, da França; e a Hispamar, majoritariamente espanhola mas da qual o grupo brasileiro Oi detém 20%. A empresa francesa, terceira maior operadora de satélites do mundo, foi a única a deixar a licitação sem levar nenhuma das posições oferecidas.

Não por falta de tentativa, a Eutelsat primeiro disputou com a Telesat, mas a canadense levou a melhor, ficando com os dois primeiros lotes. No total, ofereceu R$ 89,3 milhões - por conta da briga com a francesa, o ágio no primeiro lote foi de 56,8%. No segundo, 72,9%.

Em seguida, os árabes também tiveram mais fôlego que a Eutelsat e levaram a terceira posição orbital por R$ 44,1 milhões - ágio de 62,7% sobre o preço mínimo. É a segunda tentativa de a Star Satellite entrar no mercado brasileiro de comunicações via satélite, desta vez com sucesso.

Finalmente, o lote mais disputado ficou com a Hispamar, por R$ 50,29 milhões - neste caso, um ágio de 86,2%, mais uma vez graças aos sucessivos lances da Eutelsat. A operadora francesa só não pode ser entendida como totalmente derrotada uma vez que detém 33% do capital da Hispasat, sócia da Oi na Hispamar.

Canadenses (63 graus oeste) e árabes (20 graus oeste) avisaram que vão usar as posições orbitais para oferta de serviços em banda Ka - cada vez mais utilizada para oferta de banda larga via satélite. Já a Hispamar, na posição 74 graus oeste, vai usar a banda Ku.

Fonte: Luís Osvaldo Grossmann - Convergência Digital