A Oi optou por buscar um novo sócio, uma vez que esfriou a aproximação com a Telecom Itália, e negocia com um investidor russo, segundo fonte próxima à companhia. A negociação, agora, envolve a participação da Portugal Telecom SGPS, que detém 25,6% da Oi.

A tele portuguesa foi vendida, em janeiro, por ? 7,4 bilhões para a francesa Altice. Esta operação deve ser finalizada no segundo semestre. Enquanto isso, a Oi busca levantar recursos para ampliar o plano de investimentos. No último balanço divulgado pela companhia, a Oi registrava dívida de R$ 46 bilhões. A Oi também busca comprador para a operação da Portugal Telecom na África, que detém 25% da angolana Unitel. E, ainda, estuda a venda de torres da operação de telefonia celular, além de imóveis e outros ativos no Brasil buscando maior liquidez ou mais caixa no decorrer de 2015.

Produção de químicos

A produção nacional de químicos de uso industrial recuou 2,5% em janeiro na comparação anual, de acordo com dados preliminares da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). Frente a dezembro, houve alta de 0,28%, porém a entidade pondera que o desempenho no último trimestre do ano passado foi "muito negativo", o que prejudica a comparação.

Ranking de distribuidoras

A CPFL Santa Cruz ultrapassou a cearense Coelce e assumiu a liderança do ranking das distribuidoras, em relação à qualidade de serviço de fornecimento de energia, feita pela Aneel. A companhia, que pertence ao grupo CPFL Energia, atende a 27 municípios no Estado de São Paulo e três cidades do Paraná. Nas últimas colocações estão duas empresas da Eletrobras: a goiana Celg, que passou a ser controlada pela estatal no ano passado, e a Ceal, de Alagoas.

Eólicas mais caras

O aperto nas condições de financiamento por parte do BNDES deve se traduzir em aumento no preço da energia eólica a ser comercializada nos próximos leilões, disse ontem o presidente da Renova Energia, Mathias Becker. "O mercado vai se moldar ao que o BNDES colocar. Nos últimos leilões, o preço já subiu e houve demanda frustrada. Com a taxa de juros maior, certamente o preço-teto deverá ter acréscimo", disse ele. Além do aumento da TJLP, base para o financiamento subsidiado, de 5% para 5,5% ao ano, o BNDES reduziu de 80% para 70% a parcela de itens financiáveis de projetos eólicos. A Renova, que tem a Cemig no bloco de controle, registrou prejuízo de R$ 35,7 milhões em 2014, após lucro de R$ 6,3 milhões em 2013. No período, foram vendidos 1,2 milhões de MWh, aumento de 3,1%.

Fonte: Valor Econômico